O risco das previsões no mercado de Tecnologia


[tweetmeme source=”lucianopalma” only_single=false]
Há poucos dias, o estrategista-chefe da Microsoft, Craig Mundie, declarou que os tablets devem ser somente uma febre passageira.
Previsões deste tipo no mercado de Tecnologia da Informação são sempre muito arriscadas, porque em TI tudo muda muito rápido. Basta considerar, por exemplo, que o iPhone não existia até a metade de 2007. Hoje, desde crianças até idosos desejam e usam o aparelho. Passaram-se menos de 4 anos do dia em que muitos analistas consideraram loucura uma empresa de computadores atuar no mercado de celulares.

O iPad foi lançado há pouco mais de um ano. Lembro claramente a quantidade de “nerds” criticando o novo aparelho, chamando-o de “iPhone de Itu” e criticando suas características técnicas inferiores às de um PC. Talvez o iPad não seja mesmo para nerds que buscam cada quinhão de desempenho de seus superprocessadores. Talvez o iPad seja para seres humanos comuns, que simplesmente querem um equipamento para ajudá-los em suas atividades. Sem se preocupar com tecnologia. Afinal, tecnologia boa é aquela que você nem percebe que está usando.

Neste cenário, a declaração de Craig Mundie acaba sendo infeliz independente de como a novela terminar. Vamos analisar as 2 hipóteses:

1. Tablets são só uma febre passageira

Isto é ruim para a Microsoft por 2 razões:

  • A Microsoft não demonstrou agilidade para tirar proveito dessa febre, pois se ela é passageira, a Apple já faturou tudo (ou quase tudo: 83%).
  • Para não ficar (muito) para trás, a Microsoft está trabalhando com alguns fabricantes (HP, Asus, Dell) para lançar soluções para faturar com a febre (Slates). Está também soltando informações sobre o Windows 8, dando a entender que ele suportará tablets. Porém, se é só uma febre, todo esse esforço será em vão e os usuários do Windows terão que pagar por um custo de desenvolvimento que será enterrado com o passar da febre.

2. Tablets não são uma febre passageira

Neste caso, a técnica de Mundie pode ter sido de “desqualificar a concorrência”, tentando jogar areia no discurso “tablet” e tentando frear o avanço da Apple (e Google), enquanto sua empresa não apresenta uma resposta à altura.
Isso é ruim para a Microsoft por outras 2 razões:

  • Quando a Microsoft tiver sua solução para tablets, será que Mundie aceitará voltar atrás, assumindo uma visão míope? Ficará no mínimo estranho dizer: “quando meu concorrente fez algo antes de mim, era febre passageira, agora que eu estou fazendo, é o futuro”. Não que isso seja um problema para a Microsoft (às vezes ela faz isso com seus próprios produtos), mas com certeza, bom não é.
  • O mercado já estará tomado quando a Microsoft mudar de visão. Empresas já estão comprando iPads e tablets com Android e aplicações já estão sendo desenvolvidas para estas plataformas. A Microsoft já conseguiu reverter cenários assim 10 anos atrás (Explorer x Netscape), mas será que ela ainda tem todo esse poder? O jogo não é exatamente o mesmo, porque estamos falando em “era pós-PC”.

Conclusão:

De novo: em TI, previsões para o futuro são muito arriscadas. E quanto maior é o “vidente”, maior o risco. Um detalhe e o jogo muda. Quem diria, 5 anos atrás, que a Nokia se encontraria na situação de hoje, declarada como “uma plataforma em chamas” pelo seu próprio presidente? Outra: enquanto todos esperavam um sistema operacional da Google e olhavam para o Google OS, poucos perceberam que o sistema não era esse, mas sim o Android!
Estas mudanças estão sendo muito rápidas, e as empresas que têm mostrado agilidade estão se mostrando vencedoras. Tão vencedoras, que estão até mudando as regras do jogo na Nasdaq, de tanto que as ações da Apple subiram. Porque Jobs não fez previsões. Ele deu vida às suas visões.

Anúncios

Eleições, preconceito e direito nas mídias sociais


[tweetmeme source=”lucianopalma” only_single=false]

Quem ficou conectado até tarde no dia da eleição presenciou momentos de extremismo e tensão na rede.
Enquanto deveríamos estar orgulhos por nosso país ter dado um banho de tecnologia no quesito eleições (mais de 135 milhões de votos apurados em tempo recorde), o que foi parar nos Trending Topics do Twitter foi nome da estagiária Mayara, por conta de um tweet extremamente infeliz.

Durante o desenrolar da manifestação digital de indignação dos “tuiteiros”, recebi uma sugestão (via @lumanfredinni) para fazer um post sobre o ocorrido. Respondi que iria aguardar um pouco, até porque imaginava que muita gente escreveria a respeito – o que de fato ocorreu (veja exemplos aqui e aqui).

Foi produtivo adiar este post, porque ontem participei do 9o Congresso Brasileiro de Gestão do Conhecimento, em Gramado-RS, e no painel sobre “Gestão do Conhecimento e Mídias Sociais” foram levantadas questões sobre privacidade, segurança na rede e legislação envolvendo canais digitais. Os recentes casos da Xuxa e da Mayara foram abordados na discussão.

Justica-IPadO que me levou a escrever, porém, foi uma conversa que tive depois do painel, que continuou de onde tínhamos parado na apresentação: as tecnologias e as mídias digitais mudam muito mais rápido do que a legislação, e isto conduz a cenários que não estão previstos nas leis atuais. Para ilustrar, tire suas conclusões sobre a decisão do TSE em conceder um direito de resposta via Twitter (!).

A ex-estagiária Mayara está sendo processada por por crime de racismo e incitação pública de prática de crime (coisas bem mais antigas do que as mídias sociais digitais), mas na realidade, ela já foi condenada.

E quem condenou Mayara não foi um juiz, mas sim a Rede. Provavelmente um juiz irá ratificar esta decisão, mas independente da formalização de sua condenação, de certa forma o veredito já foi dado.
E a punição também, pois Mayara já deve ter sofrido consequências que provavelmente fizeram com que ela se corrigisse. Não creio que ela cometerá o mesmo erro novamente.
(Nota: não estou, de forma alguma, sugerindo que o processo formal não deva ocorrer. Muito pelo contrário: a impunidade neste caso desmoralizaria o sistema).

Uma proposta de solução

A conversa prosseguiu com uma especulação: e se a justiça fosse realizada desta forma?
E se as “decisões populares” através das mídias sociais fossem reconhecidas pelas autoridades?

Veja só as vantagens que o mecanismo traria:

  • Muito mais democrático (qualquer um poderia participar)
  • Muito mais ágil (as pessoas absorvem a tecnologia muito mais rápido do que os criadores/aprovadores das leis)
  • Muito mais especializado (ao invés de buscar peritos, o processo estaria aberto a todos os conhecedores do assunto)
  • Muito mais barato (funcionaria com participação da comunidade, em troca de uma sociedade justa)
  • Muito mais representativo (as próprias pessoas que os governantes representam iriam se manifestar, sem o viés da cabeça do representante)
  • Isento à corrupção (como alguém corromperia todos os usuários da Internet?)

Afinal de contas, o que é uma lei? Não é a formalização de uma conduta que a sociedade que estará sujeita àquela lei concorda em seguir? Isso não tem que representar o que as pessoas pensam?

Se aplicarmos o “crowdsourcing” neste processo, talvez possamos mudar totalmente os papéis dos poderes Legislativo e Judiciário. O primeiro não precisaria mais criar leis que representem a visão da população, porque a cada “julgamento online”, esta conduta seria revista e redefinida por cada um dos “julgadores”. Mesmo que existam radicais ou pessoas tentando controlar o sistema, eles sempre serão derrotados pelo volume da maioria.

Tenho consciência que esta é uma proposta um tanto quanto revolucionária, mas gostaria de ouvir mais opiniões.

Você concorda? Acha realizável? Deixe seu comentário para que a discussão continue!

Net Neutrality: Liberdade em risco?


[tweetmeme source=”lucianopalma” only_single=false]

A semana começou com as discussões envolvendo Google e Verizon sobre Net Neutrality.

E o que é Net Neutrality, afinal?

Este conceito é o que faz da Internet o que ela é hoje: um ambiente democrático onde todos têm total liberdade de expressão. Na rede, somos todos iguais. Meu perfil no twitter tem direito aos mesmos 140 caracteres que o do Presidente da República. Posso assistir no Youtube os mesmos vídeos que um executivo indiano ou um aluno canadense. Posso baixar a mesma versão de um software livre que se pode baixar em um telecentro ou em uma lan-house.

Além disso, se eu e você contratarmos conexões à Internet com a mesma taxa de transmissão (2 MBit/seg, por exemplo), devemos poder nos comunicar – entre nós – a esta taxa*.

Para completar, as empresas que fornecem acesso à Internet não devem bloquear ou limitar o fluxo de informações de acordo com sua natureza. Por exemplo: um provedor não pode impedir que um usuário, ao digitar o nome de um provedor concorrente em seu browser, acesso o site do concorrente. Mais do que neutralidade, nesse caso estamos falando em ética, concorda?

E o que está em risco?

Apesar da Google ser uma das maiores defensoras da Net Neutrality, esta semana a empresa manteve discussões com a Verizon para atuar de forma diferente nas conexões wireless. A proposta é implementar serviços com níveis de qualidade diferenciados, onde quem pagar mais receberá as informações com prioridade.

Note que é diferente de pagar mais para uma taxa de transmissão maior. Estamos falando em pagar mais para ter maior prioridade na rede. É como implementar uma via pedagiada onde você pode andar a 120 Km/h, enquanto na não-pedagiada (com as mesmas características técnicas), o limite é 90 Km/h. Você já viu esse filme em algum lugar, né? Gostou?

Provavelmete haverá duas correntes para esta resposta: a dos mais abastados, achando que é justo – afinal estão pagando – e a dos menos abastados achando que a medida estratifica a sociedade em grupos de quem pode e de quem não pode.

A grande verdade é que se hoje somos todos iguais na rede, a quebra da Net Neutrality passa a permitir que uns sejam “mais iguais” do que os outros.
Se o poder econômico começar a ditar a prioridade para acessar a informação, ou pior, permitir até mesmo o bloqueio de tráfego que não seja interessante do ponto de vista econômico, podemos perder nossa maior conquista do século XX – a Internet e a sua liberdade de expressão intrínseca.

Claro que o que move todo esse movimento são interesses econômicos. Uma empresa de telefonia, por exemplo, pode cobrar dezenas de reais por um minuto de ligação para o exterior. Tecnicamente, os bytes que trafegam entre os países são exatamente os mesmos que trafegam via Skype, sem custo adicional para quem já paga a conexão à Internet (muitas vezes para a mesma empresa de telefonia). Sem Net Neutrality, este tráfego poderá ser limitado, ou até mesmo bloqueado, para garantir a gigantesca margem de lucro antes praticada para este serviço. O benefício da inovação e da tecnologia, até agora desfrutado pelo cidadão comum, será confiscado pelas empresas e tarifado com o mesmo peso do passado.

Os grandes provedores podem passar a cobrar uma tarifa “premium” para liberar o serviço – um verdadeiro pedágio numa infovia onde antes trafegava-se de graça. E não há margem para alegar que somente a venda do acesso à Internet não garante a sobrevivência dessas emrpesas, porque até pouquíssimo tempo atrás todos queriam este filão.

O grande problema é – de novo – a centralização, a concentração de poder. Enquanto eram muitos provedores pequenos, havia competição. Com as tão badaladas “mega-fusões”, o oligopólio se re-estabeleceu e a linha divisória entre os que têm e os que não têm volta a ser riscada de forma coronelista. O que era concorrência virou conferência…

Como fica o futuro das mídias sociais se aquele garoto que quer se expressar “xingando muito no Twitter” tiver que pagar para ter seu tweet publicado?

Você não acha que temos fazer um movimento aqui também, pela Neutralidade da Rede Brasileira?

* Normalmente os contratos com provedores garantem uma fração da taxa nominal e possuem valores distintos para o upload e download.

O Poder dos Wikis: o Dobro do Conteúdo?


[tweetmeme source=”lucianopalma” only_single=false]

Quando se fala em Wikis, a primeira coisa que vem à mente é a Wikipedia. E não é para menos: quem diria que em apenas 4 anos uma enciclopédia criada de forma colaborativa pudesse se tornar tão confiável quanto a Encyclopedia Brittanica?

Só que os Wikis vão muito além disso. Por exemplo: o que você acha da idéia de dobrar o conteúdo disponível na Internet através da disseminação de Wikis?
Antes de mostrar como isso é possível, segue uma repassada no conceito.

O que é um Wiki? Qual o segredo?

Apesar do poder gigantesco, o conceito de Wiki é simples: cada um contribui com o que sabe. Assim como nas campanhas de ajuda humanitária, onde cada um contribui com o que pode, resultando na arrecadação de quantias impressionantes de doações, os Wikis são capazes de agregar volumes inacreditáveis de informação por conta das pequenas contribuições de cidadãos comuns.

A “mágica” se baseia em 2 fatos:

  1. Todo mundo se interessa por algo e sabe alguma coisa relevante sobre aquilo
  2. Tem muita gente no mundo
  3. A pergunta é: “Porque esse conteúdo não flui?” Quais as barreiras para uma maior criação coletiva?

Existem inúmeros fatores inerentes a cada indivíduo: timidez, insegurança, medo de ser indevidamente compreendido (ou julgado), temor à não-aceitação, aversão à exposição a erros e muitos outros.

No entanto, um fator muito relevante é a falta de um canal de participação. É impressionante ver como pessoas que se mantém quietas passam a contribuir com informações de alto valor quando lhes é oferecido um canal de comunicação para participar em um tema de seu interesse. Isso é ainda mais forte quando essa pessoas podem contar com o apoio dos demais, complementando, melhorando e até corrigindo suas contrbuições.

É isso que os Wikis proporcionam. Num Wiki, qualquer um pode discorrer sobre qualquer assunto que lhe interesse. A pessoa não precisa saber criar um blog ou assumir o compromisso de colaborar regularmente. Ela simplesmente colabora com o que sabe, quando quiser, na quantidade que preferir, da forma que achar melhor.

E como dobrar o conteúdo da Internet?

Vamos começar com o Princípio do 90-9-1 que se verifica em comunidades online (e offline também):

– 90% dos usuários são “Audiência”. Lêem e observam, mas não contribuem.

– 10% são “Editores”. Avaliam e às vezes modificam ou complementam as informações, mas raramente criam contúdo do zero.

– 1% são os “Criadores”. Criam conteúdo e alavancam a maior parte da atividade na Rede.

Com a facilidade dos Wikis, parte dos Editores pode ficar mais à vontade para se arriscarem na criação de conteúdo, e até mesmo alguns participantes da Audiência podem vir a criar algo na sua zona de conforto, ou seja, naquele assunto em que se sentem um pouco mais confiantes.

Vamos analisar o que aconteceria, considerando as seguintes hipóteses:

  1. 1 em cada 15 Editores passe a gerar conteúdo por conta de Wikis
  2. 1 em cada 15 participantes da Audiência passe a avaliar/modificar conteúdo
  3. 1 em cada 150 participantes da Audiência passe a gerar conteúdo
    Os resultados seriam os seguintes:

Wikis Redes Sociais Internet Conteúdo

Ou seja, um aumento de praticamente 100% na geração de conteúdo!!!

E você? Acredita que este enorme passo possa ser dado?
Começe por sair do grupo “Audiência” e tornando-se um “Editor”, deixando aqui o seu comentário! 😉

[]s, Luciano

O Livro do Ano 2009


2009 foi um ano cheio de obstáculos, mas também foi o ano em que retomei um hábito que vinha neglicenciando há muito tempo: a leitura, principalmente de livros não técnicos.
Tomara que em 2010 aconteça um “click” parecido e eu volte a fazer exercícios físicos… mas isso já é outra história….

Um recurso que descobri tardiamente (“shame on me”) foram os audiobooks. Como pude viver tanto tempo em São Paulo sem utilizá-los? De setembro para cá já foram 6 livros, e isso não tirou sequer um minuto do meu tempo: todos foram ouvidos durante o deslocamento de casa para o trabalho (e vice-versa). Acreditem, encarar congestionamento ouvindo um livro é muito mais fácil!
Se mais pessoas aderirem à moda, não duvido que o trânsito de São Paulo ficará menos agressivo!

O eleito (ao menos por mim)

Desculpem se o título do post ficou um tanto presunçoso, mas gostaria de compartilhar com vocês aquele que eu achei o melhor livro de 2009. Foi um livro que me chamou a atenção como pai, pois ao ler a sinopse me caiu a ficha que – contrariando o Legião Urbana –se meu filho já nasceu, eu já não sou mais o filho”.
Como posso educar meus filhos usando como critério o que eu vivi na infância?
Sem querer entregar que tenho 41, eu andei de rolimã (para os mais jovens, é um carrinho feito com tábuas de madeira e rolamentos, utilizado em ladeiras e normalmente sem freio), joguei “taco”, queimada e futebol na rua (o último, não muito bem), estourei “bombinhas” em datas comemorativas, lavei carro na rua…

Hoje, meus filhos não podem fazer nada disso; ou porque é proibido, ou porque é inseguro, ou porque é politicamente incorreto. Obviamente eles estão se desenvolvendo de forma muito diferente, fazendo coisas muito diferentes. Por exemplo: minha experiência com videogames (privilégio de quem tinha algum amigo cujo pai viajava para os EUA) foi jogar “Asteroids” e “Pac-Man” num Atari 2600 com frente de madeira e em preto e branco, porque a “transcodificação” para o semi-sistema PAL-M-N’ era cara… Hoje o realismo dos jogos é tão grande que se um pai desavisado entra na sala enquanto o filho joga videogame ele senta e começa a torcer achando que é jogo ao vivo! Só depois ele percebe que o filho está sozinho… -“Ô moleque, porque não vai brincar com os amigos? Vive enfurnado em casa!” –“Pô pai, tô jogando com a galera. Tá rolando um campeonato da classe, tá todo mundo online!” –“Ah, tá… Internet, né?” 😕

Como ficar a par de tudo o que acontece se você ainda tem que trabalhar de 8 a 12 horas por dia?!

Livro do Ano (por LPalma) - Grown Up DigitalO livro “Grown Up Digital”, de Don Tapscott, pode ajudar nessa missão.

E o mais interessante é que o livro vai bem além disso! Não bastasse o autor retratar a “Net Generation” de uma forma tão precisa a ponto de eu ver o que ele escreveu acontecer logo à minha frente, com o meu filho de 10 anos, ele ainda mostra os pontos positivos, os pontos de atenção… e abre uma enorme janela de oportunidade do ponto de vista profissional.

Hoje existem muitos mitos em relação aos jovens. “Eles são desinteressados, seu conhecimento é supérfluo, eles não sabem mais se comunicar e são viciados em videogame e Internet…”
É muito comum ver leigos afirmando isso, mas Don Tapscott fala com fundamentos. Sua empresa, a nGenera, investiu 4,5 milhões de dólares em uma pesquisa com 11.000 jovens da “Net Generation” para entender como esta geração está mudando o mundo. E o livro faz jus a essa grana toda.

Se você tem filhos, a recomendação já está feita. Se você não tem, só deixe de ler se você vai se aposentar nos próximos 3 ou 4 anos (e tem emprego estável). Porque logo, logo, a “galera” que o Don estudou estará no escritório, junto com você, fazendo e acontecendo. Quem souber falar a língua deles terá excelentes oportunidades para criar parcerias fantásticas, oferencendo sua experiência e maturidade e recebendo em troca a agilidade e o dinamismo dessa geração. Além de muito produtivo, vai ser muito divertido, pode ter certeza!

E vocês, NetGenners… SEJAM BEM-VINDOS! 🙂 🙂 🙂

clip_image001 clip_image002 clip_image003

ReTweetspectiva 2009


Atendendo aos pedidos da hashtag #acaba2009, o ano está chegando ao fim. De fato, um ano que deixa pouca saudade.

Mas como todo final de ano, é hora de aproveitar esse sentimento de renovação e fazer aquela arrumação em tudo – casa, email, listas de contatos, gavetas, etc.
Este processo é legal por duas razões: Deixa a gente mais leve para começar outro ciclo e nos faz reviver os momentos do ano que passou.

Este ano, fiz algo diferente. Fiz um “revival” dos meus tweets do ano – minha ReTweetspectiva 2009. E assim descobri mais um benefício do Twitter: relembrar as maiores emoções vividas no ano através de poucas páginas de texto! Experimente fazer isso você também; é impressionante!

Segue a lista dos 75 tweets que achei mais marcantes ou interessantes (alguns são ReTweets). Destaquei os “top 5” e comento particularmente 3 tweets:

  • 15 – Pensando bem… não vou comentar esse não!
  • 45 – Esse foi no dia do apagão. Recebi algumas ofertas, mas a luz voltou antes que algum dependente Internético fechasse negócio.
  • 65 – Esse meu “AutoReTweet” deu o que falar. Aparentemente, as pessoas não costumam “Retweetar” a si mesmas….

Meu 2009 em 75 Tweets

  1. Ok, Carnival is gone. So we can start 2009. 10:17 PM Feb 25th from web
  2. E eu nem contei como foi o evento em Salto na quinta! Show!!! Até onde sei, primeiro evento técnico em CINEMA!!! Valeu Slavov! Valeu Salto! 12:38 AM May 20th from web
  3. Aliás, se você quer que NÃO leiam seus tweets, tweete muito. E em sequência. É o "caminho para o remove" 8:27 AM Jun 5th from web
  4. Tweet #Tip: To allow ReTweets, instead of 140 use 140 – 4 – Len(yourAlias) characters (my case: it takes 16 chars to "RT @lucianopalma") 5:37 PM Jun 30th from web
  5. E você: acha que o Homem chegou à Lua ou não? 10:58 AM Jul 20th from web
  6. O Twitter é o "coffee break" na Internet. Você encontra, conversa mas não aprofunda. Se precisar, tem que usar outros canais 🙂 4:02 AM Jul 28th from web
  7. Nos momentos mais difíceis, siga o que você mais acredita e faça o que sabe que é certo. Isso só aumentará seu orgulho no dia do sucesso. 12:35 AM Aug 5th from web
  8. Redes sociais de 30 anos atrás! Que saudade… Eu era o Golf-6953. Em QAP! http://tinyurl.com/vivaopx 3:49 PM Aug 5th from web
  9. @garotasemfio Nãããããããão!!! Café em copo térmico não!!! 😉 10:58 PM Aug 8th from web in reply to garotasemfio
  10. Personal Integrity: your actions are in harmony with your values, that are based on universal and timeless principles (S. Covey). 6:02 PM Aug 13th from web
  11. Ufa! 3 palestras do #TechEd em um dia só! Mas quer saber? Amo muito tudo isso!!! 9:11 PM Aug 27th from web
  12. "To be a champion you have to believe in yourself when no one else will." – Sugar Ray Robinson 12:06 AM Sep 2nd from web
  13. “There are two things people want more than sex and money… recognition and praise.” 12:08 AM Sep 2nd from web
  14. Há vários usos para os livros: lê-los para entender o mundo… ou deixá-los ante a vista para tapar a realidade… 11:02 PM Sep 2nd from web
  15. RT @microcontoscos Uma impressora virou-se pra outra e disse: Essa folha é sua ou é impressão minha? 12:37 AM Sep 4th from web
  16. "The scandal of education is that every time you teach something, you deprive a child of the pleasure and benefit of discovery" – S. Papert 2:10 AM Sep 8th from web
  17. Desde ontem pensando: a tecnologia está aproximando as pessoas ou criando uma segregação cultural, social e comportamental? 7:29 PM Sep 12th from web
  18. Read "Imagine" lyrics again. Was Lennon talking about the Internet?? 2:02 PM Sep 17th from web
  19. A Internet tem informação. As pessoas têm experiência. Para obter sucesso, é necessário combinar os dois ingredientes. 2:39 PM Sep 17th from web
  20. "As empresas são como o governo: as pessoas querem entrar para não sair nunca, fazendo política e sem mudar nada" – Luli hoje, no rádio 12:49 AM Sep 19th from web
  21. "People tend to look for information that confirms their beliefs and reject information that contradicts it" – Stan Kutcher #quote 12:19 AM Sep 20th from web
  22. Evitar o "boca-a-boca" negativo é 3 vezes mais efetivo do que conseguir "boca-a-boca" positivo. 12:38 AM Sep 20th from web
  23. RT @socialmediamstr "A person of integrity expects to be believed, and when he’s not, he lets time prove him right." #quote 4:53 PM Sep 24th from web
  24. NetGen: 71% perdoam erros corrigidos de forma rápida e honesta. 76% recomendam não comprar da empresa caso se sintam enganados 8:27 PM Sep 24th from web
  25. "Multitasking might double the time it takes to do two tasks, compared with doing them one at a time" – David Meyer 12:07 AM Sep 26th from web
  26. "Eu trazi"… "Não, filhinha, o certo é ‘eu TROUXE’"… "NÃO papai. Fui EU que trouxe!!!". Ok, ok… de certa forma, funcionou… 3:50 PM Sep 26th from web
  27. "Electronic social tools are important means of augmenting close personal relationships, but they don’t replace face-to-face contact"-Don T. 12:29 AM Sep 28th from web
  28. Unbelievable! Bought an audiobook online in Brazil and 20 minutes later, even before I started o listen, THE AUTHOR @jbernoff tweeted me!!! 10:27 PM Sep 28th from web
  29. Bernoff diz que tentar censurar a Internet é como querer tirar xixi de uma piscina. Tem muita celebridade que aprende isso na prática… 12:13 AM Sep 29th from web
  30. RT @luconde RT @MarkusChristen: Vaidade na área de TI é um do maiores “Blockers” de inovação ! 9:58 AM Sep 29th from web
  31. Ferrari has just lost a "tifosi" for 3 years. I’m so sad they signed with Alonso. #goodbyeferrari @ferrarif1world 2:40 AM Oct 1st from web
  32. Recebi uma pesquisa de satisfação que pede meu email para contato. Detalhe: Recebi a pesquisa POR EMAIL! :O 1:28 PM Oct 1st from web
  33. Technology’s influencing the way kids think and this is influencing how they use&shape the Internet & every institution in society-Tapscott 12:58 AM Oct 3rd from web
  34. Só se pode chamar algo de "viral" DEPOIS que já tenha se tornado viral. Antes disso, são só tentativas… 8:39 AM Oct 3rd from web
  35. NUNCA compre um @Ford!!! Segundo carro 0km com defeito de fábrica!!! #Ford #Fail #totalFailure #fordfail 9:59 PM Oct 8th from web
  36. RT @marthagabriel "Poor quality is remembered long after low prices are forgotten" — Charles Rolls co-founder of Rolls-Royce #quote 12:04 AM Oct 15th from web
  37. @MarinaNeumann Dormir? Pro metabolismo baixar? Justo agora que as crianças fizeram isso? É hora de dar uma estudadinha… rs rs #coisadenerd 12:14 AM Oct 21st from web in reply to MarinaNeumann
  38. "A história se repete porque ninguém escuta na primeira vez", Erik Qualman, em Socialnomics. #frase 10:13 PM Oct 23rd from web
  39. Putz… soltei essa hoje: "O Windows 7 é 10!!!" Os matemáticos que me desculpem… 11:05 AM Oct 29th from web
  40. RT @simonsinek Do what you believe and others will follow. Follow others and no one will believe in you. 7:00 PM Nov 4th from web
  41. Empresas são feitas de pessoas. Será que elas sabem disso?? 9:56 PM Nov 4th from web
  42. @OCriador O Senhor poderia parar o mundo um pouquinho? É que eu queria descer… mas se não der, promete que reboota em 2012? 11:34 PM Nov 5th from web
  43. comentário de corredor na #InterCon : acharam absurdo alguém não ter Twitter… 12:20 PM Nov 7th from mobile web
  44. "O conceito de legalidade e ilegalidade para as próximas gerações já começa diferente", Carlos Souza, na #InterCon09 3:59 PM Nov 7th from web
  45. Vendo nobreak com bateria de 30Ah carregada ou troco por Gol 2008 ou mais novo. 10:36 PM Nov 10th from mobile web
  46. Alguém twite alguma coisa legal, por favor! Estou querendo testar o novo recurso de Retweet do Twitter 🙂 11:53 PM Nov 10th from web
  47. Como dizia o sábio Farah: "Inteligência é uma grandeza vetorial" 9:55 PM Nov 11th from web
  48. Já que a noite é de filosofia com o @MarkusChristen – Se você faz o certo aonde está tudo errado, você faz errado? 11:09 PM Nov 11th from web
  49. RT @pensador_info Pecar pelo silêncio, quando se deveria protestar, transforma homens em covardes. (Abraham Lincoln) 8:49 AM Nov 12th from web
  50. "A vida é como o minério – não dá duas safras" (Antônio Roberto) 12:35 AM Nov 13th from web
  51. RT @ricnavarro Viver é diferente de existir. Existir é acordar, alimentar, trabalhar, dormir. Viver é fazer aquilo que te dá orgulho. Vivam! 12:15 PM Nov 15th from web
  52. Mais de 700 GFLOPS em um desktop no #pdc09. Equivale a cada pessoa na face da terra fazendo 100 operações (floating point) em 1 segundo!!! 2:03 PM Nov 18th from web
  53. Do meu filho de 10 para a de 3: "Vc não resolve as coisas batendo. Vc resolve CONVERSANDO. Conversar é mais poderoso" Viva o poder da Ger Y! 9:18 AM Nov 21st from web
  54. @vacarini Santo de casa não faz milagre… ou os milagres que ele faz não contam no placar controlado pelos "pais de santo corporativos"? 9:28 AM Nov 21st from web in reply to vacarini
  55. @renedepaula @vacarini Para mim um evangelista é aquele que promove algo em que acredita. Um BOM evangelista ajuda os outros a acreditarem 9:55 AM Nov 21st from web
  56. Um bom twitteiro é aquele que ao pensar uma frase, já sabe se ela vai caber em 140 caracteres. E se ele perceber que não vai caber, ele pens 9:56 AM Nov 21st from web
  57. Sarrista em tempo de Twitter: "Eu perco o seguidor mas não perco a piada!" 9:59 AM Nov 21st from web
  58. 2 semanas com um netbook rodando Windows 7 – minha avaliação: NOTA 10!!! Minha esposa também a-do-rou! Agora é convencê-la a devolver… 9:42 AM Nov 22nd from web
  59. @markuschristen Não é só em TI que o blábláblá é usado para "despistar". Física quântica é muito usada como "base" para "provar" mentiras… 8:26 PM Nov 22nd from web
  60. Li um capítulo sobre "Marketing Viral". Achei BS. Viral só é viral depois que vira viral. Ninguém "cria viral". Não caiam nessa! 11:06 PM Nov 22nd from web
  61. Lance um boa idéia e ela poderá se tornar um viral. Tente "lançar um viral" e provavelmente será uma péssima idéia… 11:09 PM Nov 22nd from web
  62. "Famoso político paulista" desvia 650 milhões de obra e é condenado a pagar 15 milhões. Isso que é ROI hein? (que socialmedia que nada!) 10:36 PM Nov 25th from web
  63. RT @sabdoriapopular Tem gente que quando vê um pneu murcho, acha que murchando os outros resolve o problema. 8:40 AM Nov 27th from web
  64. Vocês riem de mim por eu ser diferente, e eu rio de vocês por serem todos iguais (Bob Marley) 9:42 AM Nov 28th from API Retweeted by you and 50 others
  65. RT @lucianopalma #simeumesmo Nada está tão ruim que não possa piorar… 11:11 PM Dec 1st from web
  66. RT @simonsinek Bad managers are the ones who cling to the rules to justify their actions instead of trying to understand the situation. 11:18 PM Dec 2nd from web
  67. "Never let your ego get so close to your position that when your position goes, your ego goes with it." 10:45 PM Dec 5th from web Retweeted by you and 1 other
  68. "Tornar o simples complicado é fácil. Tornar o complicado simples, isto é criatividade." CHARLES MINGUS (In Duailibi) 5:17 PM Dec 6th from web Retweeted by you and 100+ others
  69. "Avaliação de desempenho é o mais poderoso inibidor de qualidade e produtividade no ocidente" diz Deming. Hm… faz a gente pensar, não é? 9:48 PM Dec 7th from DestroyTwitter Retweeted by you and 2 others
  70. quando a tecnologia nivela todo mundo por baixo, o talento joga os melhores de volta pra cima (via @raphav) 10:33 AM Dec 10th from Tweetie Retweeted by you and 6 others
  71. "Tem gente que é pobre, mas tão pobre, que só tem dinheiro" 5:58 PM Dec 10th from web Retweeted by you and 1 other
  72. People with real power don’t tell you about it. People uncertain of their power or how long it will last don’t stop telling you about it. 6:46 PM Dec 12th from txt Retweeted by you and 1 other
  73. "Bad ideas don´t get better online" (Idéias ruins não se tornam melhores online) — IBM #frases #quotes 7:20 PM Dec 18th from Power Twitter Retweeted by you and 3 others
  74. Só o olho no olho é capaz de nos dar algumas dimensões da nossa importância na vida das pessoas. Por isso, cuidado com os smartphones. 8:19 AM Dec 20th from TweetDeck Retweeted by you
  75. Só quem tem comprometimento e faz um bom trabalho se preocupa em ter métricas boas e reais, onde uma crítica vale mais do que um elogio. 7:57 AM Dec 21st from web

#Feliz2010 !!!